quarta-feira, 4 de setembro de 2013

O que é que eu tenho a ver com isso?








Por estes dias tive uma acesa discussão com um colega francês que se insurgiu contra a decisão do seu Presidente, François Hollande, de participar no ataque ao regime sírio, por forma a evitar mais massacres. O seu argumento dele era: o que é que eu, cidadão francês, tenho a ver com o que se passa na Síria? Porque é que o meu governo há-de gastar meios próprios para defender o povo Sírio?
A pergunta seria legítima se tivéssemos uma organização internacional que pugnasse pelo cumprimento dos mais fundamentais direitos humanos, que fiscalizasse e punisse regimes opressores, que defendesse a vida humana acima de qualquer interesse nacional. Ao invés temos uma ONU que mais não é que uma encenação do que deveria ser. É um poleiro onde cantam muitos galos, uma máquina burocrática que não previne, não evita, não protege, apenas sanciona e limpa estragos.
Concordo quando dizem que não cabe à NATO o papel de polícia do mundo. Concordo com os argumentos que passamos uma imagem imperialista ao querer resolver conflitos que nos são alheios. Mas, será que nos são mesmo alheios? Será que podemos ficar indiferentes às imagens que nos chegam, de crianças assassinadas, de famílias desfeitas, do desespero dos nossos semelhantes, de um povo massacrado, dos refugiados privados da sua vida? Seremos humanos se simplesmente ignorarmos e assobiarmos para o lado? Serão as fronteiras de um país mais importantes que vidas humanas? Não valerá a vida de um sírio tanto como a vida de um francês? Este povo está a ser massacrado apenas porque ousou sonhar.

Quando olho para estas imagens a minha resposta é só uma: tenho tudo a ver com isso!

1 comentário:

Filomena Crochet disse...

concordo com tudo que você disse. Sou contra a guerra, mas se é para evitar isso que ai vemos, vamos à guerra. Vamos derrubar um facínora, que daqui a dias poderá estar no nosso quintal.....se estivéssemos no lugar desse pobres desgraçados sob o governo sírio, não gostaríamos que nos acudissem??? claro que sim....
um abraço de MF