domingo, 29 de dezembro de 2013

sobre essa coisa do lixo em Lx...

(o que está empilhado na rua, não o que veste de encarnado...)

 

esta greve é a total subversão do conceito de direito à greve. Os trabalhadores em questão não vão receber menos, não vão trabalhar mais, não vão perder direitos nem antiguidade, continuarão a trabalhar para o Estado e a usufruir das mesmas regalias. A diferença estará apenas no cabeçalho do cheque, que deixará de ser a Câmara Municipal de Lisboa para ser a Freguesia para a qual trabalha. O que mudará também é que o chefe, em vez de ser um vereador, com poderes delegados, e confinado ao seu gabinete na CML a assinar despachos, passará a ser o presidente da junta, o homem que está no terreno e que, no final dia, sabe imediatamente se o trabalho foi ou não bem feito. Haverá por isso mais exigência, será esse o motivo da greve?
Mas este caso é ainda mais rocambolesco, é que além do abuso que é recorrer à greve por motivos injustificados, da época escolhida, do número excessivo de dias (que coloca em causa a saúde pública) há ainda o atentado à liberdade de quem escolhe não fazer greve.
Vivemos num país tendencialmente de esquerda, o que não seria uma crítica se não acabássemos por cair no ridículo. Esta greve é inqualificável e, num país a sério os sequestradores que perpetraram este terrorismo seriam chamados á responsabilidade. Num país a sério a comunicação social daria um tratamento isento e informado ao invés do circo onde quem escolhe não fazer greve aparece como o vilão.
 
 

sábado, 28 de dezembro de 2013

Lembrai-me de...

na minha próxima visita a Setúbal me engasgar com um choco frito e pedir para ser socorrida pelo mister Junho:

Bombeiros fazem calendário por causa nobre

ou o Julho,

Bombeiros fazem calendário por causa nobre

ou até o Dezembro,

Bombeiros fazem calendário por causa nobre


Entretanto, vou ali comprar o calendário que eu gosto mesmo é de ajudar...

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

O Homem: um milímetro acima do macaco quando não é um centímetro abaixo do porco*



Parece enredo, novela, romance medieval mas não, é uma história real, passada em pleno século XXI, num país que já aboliu a escravatura há 3 séculos, o nosso.
Há muitas Benildes no nosso país, talvez por isso, o que mais me choca nesta história não é a exploração e aproveitamento da ignorância de uma pessoa, a privação dos seus direitos mais básicos como educação, descanso, salário condigno, respeito... O que mais me choca é constatar que existem pessoas tão perversas como a Ernestina. Pessoas que não têm qualquer pejo em sequestrar outros mantendo-os reféns de chantagens emocionais e promessas que não têm qualquer intenção de cumprir. Pessoas tão ingratas que não são capazes de reconhecer quem só lhes fez bem durante toda uma vida. Pessoas que separam os humanos em categorias, de acordo com as suas origens e posses ignorando o valor de cada um. Pessoas que me envergonham por ser pessoa.

 *Pío Baroja

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Coisas que me fazem pensar e depois rir !!

Jorge Jesus é hoje em dia o 11ª técnico mais bem pago do futebol mundial, e eu até acho bem e espero que o continue a ser e que treine o Benfas por muitos anos! 
Agora há uma coisa que me deixa a pensar, se ele sem mostrar serviço é assim tão bem pago, quanto receberia se de facto ganhasse alguma coisa?
Provavelmente o orelhas teria de fazer um peditório aos 6 milhões de crentes adeptos para pagar essa jóia rara que é JJ.




terça-feira, 17 de dezembro de 2013

o importante é importar-nos...



Tenho uma pessoa, um conhecido, não sei muito bem como o classificar, sei que temos de ter as pessoas arrumadas e catalogadas mas, nem sempre é fácil. A pessoa em questão não é minha familiar, não partilhamos o mesmo sangue, não é minha colega, não partilhamos o mesmo trabalho ou  escola, tão pouco a faixa etária, não é minha amiga, não partilhamos confidências. É meu semelhante, é uma pessoa como eu. Essa pessoa tem sido muito mal tratada pela vida. Essa pessoa não tinha uma rede de apoio e simplesmente se deixou ir. Entregou-se ao álcool, teve um acidente com sérias repercussões na sua saúde, perdeu o emprego, perdeu os bens que tinha, foi abandonada pela família. Essa pessoa sobreviveu. Essa pessoa, teve pessoas, seus semelhantes, que lhe deram a mão. Mexeram-se uns pauzinhos e conseguiu-se vaga numa clínica para uma desintoxicação. Mais uns pauzinhos e a segurança social atribui-lhe uma casa, um subsídio de sobrevivência, o acesso a um centro de dia com alimentação garantida. Uma ou outra influência, aqui  ali e a seguradora lá pagou uma indemnização, saiu a reforma por incapacidade. Essa pessoa era agora uma pessoa com dignidade, recebia o seu próprio dinheiro e pôde arranjar a sua casa. E, após todas estas conquistas, a família voltou. Essa pessoa tinha agora netos, por quem se apaixonou imediatamente. Essa pessoa pediu perdão às filhas por as ter abandonado, sem nunca ter questionado se não teria sido essa pessoa a ser abandonada. Tudo parecia estar bem. 
Mas a vida só é cor de rosa no reino da fantasia. Primeiro uma das filhas perdeu o emprego, depois a outra. Vieram os problemas financeiros e tinham ali, mesmo à mão essa pessoa. Essa abriu o seu coração, a porta da sua casa e a sua conta bancária para quem outrora a abandonou.
Ontem, recebi um telefonema a dizer-me que essa pessoa voltou ao álcool, teve uma queda aparatosa, foi parar ao hospital. Uma vez mais fomos ter com essa pessoa, não lhe passamos a mão na cabeça, pelo contrário, berrámos, xingámos, só não batemos porque seria cobardia. Fizemos isso porque nos importamos e fizemos questão de deixar isso bem claro. Essa pessoa chorou à nossa frente. Não somos família, não somos amigos. Somos semelhantes e importamo-nos. Importamo-nos com o bem estar dos nossos semelhantes, importamo-nos que alguém não tenha uma rede de apoio. Todos nós merecemos ter alguém que se importe, que nos estenda a mão, que esteja presente, que nos puxe do lodo que nos afoga. E essa pessoa pode muito bem ser aquela que não tem direito a classificação na tua vida.

Me too...



Não há paixão sem dor...


 
 
A Avó Willow é que sabia...

 

1 mês depois...








A Mona está viva...

 
 

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

echoes in the night...


Night is purer than day; it is better for thinking and loving and dreaming. At night everything is more intense, more true. The echo of words that have been spoken during the day takes on a new and deeper meaning.

in, Dawn, Elie Wiesel 

hereditariedades...



Já aqui falei muitas vezes sobre a minha avó, é verdade, mas é também verdade que todas as linhas que possa escrever serão insuficientes para descrever o tanto que ela me deu. A minha avó foi a minha primeira mãe. Foi quem me criou, com quem vivi e partilhei cama os primeiros dez anos da minha existência. Sim, eu dormia com a minha avó, porque a casa era demasiado grande, o soalho rangia demais, e a minha imaginação corria (ainda corre) demasiado selvagem, porque era (ainda sou) demasiado friorenta mas, sobretudo, porque gostávamos demais uma da outra para nos abandonarmos cada uma em seu quarto a gozar uma solidão demasiado pesada. Todos os dias a minha avó via-se e desejava-se para me aturar, berrava, ameaçava bater-me. Eu era arisca, respondona, desobediente mas, todos os dias, invariavelmente, dormíamos agarradas, de pés entrelaçados.
Não saio muito à minha avó, nem no parecer nem no jeito de ser. Mas, a convivência molda-nos, nós somos o reflexo daqueles que connosco se cruzaram e, por isso a minha avó está em mim. Está na emotividade, na lágrima fácil, na sensibilidade que nos faz ficar ofendidas com facilidade.  Está no coração mesmo junto à boca (o que, provavelmente, me vai fazer perder uma aposta nos próximos dias), na incapacidade de ignorar quando nos fazem mal, está no incomodo que sinto quando não estou em paz, e na forma como isso se reflecte imediatamente no bem estar físico. Está nas cismas, nos silêncios, na enorme capacidade de perdoar mas, sobretudo, naquilo que muitos apelidam de orgulho, e que é na verdade amor próprio. 
Uma das memórias mais nítidas que tenho da minha avó, era a forma determinada com que afirmava não querer ser um peso, um estorvo para ninguém. A minha avó não pedia ajuda, por muito que precisasse, não incomodava, não cobrava. A minha avó não impunha a sua presença, nem reclamava dos outros o que era obrigação deles dar. Afinal, dizia ela "quem gosta de nós mantém-nos perto, dá-nos sem pedir, se não nos quer perto, então é porque não gosta de nós, e a esses, nada poderemos exigir"...

sábado, 14 de dezembro de 2013

advogadas, dizem elas...


É caso para dizer: não há crédito que resista!!!

(Para o contacto, é só procurar nas páginas amarelas, letra M - vá pelos seus dedos...)

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

ai Portugal, Portugal, um Kim por dia, nem sabes o bem que te fazia...


(não é que o homem tem mesmo cara de quem levava uma vida devassa...)


Quem me vai lendo sabe que nutro uma certa simpatia pela Coreia do Norte. Gosto da disciplina, gosto do respeitinho, daquelas paradas militares com todos alinhadinhos, do povo a chorar de alegria cada vez que o grande líder passa. Se a tudo isso juntarmos a crença do Bernardino Soares que afirma que aquele regime não é uma ditadura e então, temos um país que deve ser dos melhores do mundo para se habitar, pena que não está aberto à emigração...  Ali não há cá merdas, o povo só tem de trabalhar e adorar o grande líder. É esse o seu destino. Tudo o resto são tentações capitalistas criadas apenas com o intuito de perturbar a ordem natural das coisas.
Sigo com muita atenção o que se vai passando por lá. Gosto de estar a par das últimas movimentações do grande líder, aquele ser tocado por Deus, perdão, que encarna o próprio Deus, que é o melhor do mundo em tudo o que faz, da equitação ao tiro com arco, da culinária ao xadrez, da ginástica rítmica ao canto lírico, e ainda acumula todos esses dotes com o título, renovado ano após ano, de ser vivo mais sexy do sistema solar (by the way, sabiam que ele foi educado na Suiça por um português?, é que tinha de haver dedo de um português em tamanha perfeição!). 
Ora as últimas notícias que nos chegam indicam que ele fez uma purga e mandou executar 100 membros do partido, inclusive o seu tio e mentor. Este era acusado de corrupção, uso de drogas, ser mulherengo e levar uma vida devassa. Como é óbvio, e porque a Coreia é uma nação à séria, foi condenado à morte, com direito a julgamento (sumaríssimo que estes trastes não merecem que se gaste dinheiro público com eles), não pensem que aquilo é uma tirania. 
Claro que mais uma vez eu estou do lado do grande líder! Estas acusações gravíssimas, não merecem outro castigo senão a morte. Fosse assim por estes lados e acabavam-se os problemas de estacionamento, as filas, as listas de espera, o desemprego...


quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

do que as mulheres merecem...




ser gostadas.
sentir que são gostadas.
que esperem por elas com um sorriso rasgado.
que as abracem com força
que as beijem sem razão
que as adormeçam com um beijo
que as despertem com um beijo
sentirem-se únicas
serem únicas
que as puxem para dançar
que as façam sonhar
que sonhem com elas
que lhes digam o quanto estão bonitas
que lhes leiam um poema
que lhe cantem uma música
que as levem à loucura
que façam loucuras por elas
que as busquem
que corram atrás delas
que lhes beijem as mãos
que lhes apertem a mão, enquanto caminham, lado a lado
ser olhadas com um sorriso na face e um brilho no olhar.
ser arrebatadas
ser valorizadas
que lhes digam que são importantes
que as protejam
que as mimem
que as desafiem
que as ouçam
...










quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Christmas miracle, ou como fazer uma grande campanha de marketing



(ps 1. de presente quero uns patins para o Paulo Fonseca - eu sei, eu sei, sou uma altruísta, a pedir presentes para os outros... e, se não for abusar, o regresso do sexy red Vilas Boas.)

(ps 2. sempre achei que o Pai Natal ficaria muito melhor de azul!)


it's beginning to smell alot like christmas... (ah! não, afinal o cheiro não vem daí...)



Após uma rápida e desinteressada análise ao facebook, constato que sou a única pessoa no planeta que ainda não enfeitou a árvore de Natal. Shame on me!! Preguiça, desleixo, esquecimento, incúria, desinteresse, são todas desculpas válidas. Este mês está a passar demasiado rápido, com demasiadas coisas a acontecer ao mesmo tempo, sem me dar espaço para processar. Tenho-me perdido nos dias. Sim, é verdade que o Natal está à porta, mas não me cheira a Natal, não me sabe a Natal. O Natal é muito mais que uma data, o Natal é um estado de espírito, de alma, e esse ainda não me inundou...


10080


I focus on the pain
the only thing 
that's real...

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

só é photoshop se tu o quiseres...


Versão Original:
Mandela & Muhammed Ali


Versão personalizada:

A misty Nelson Mandela and Kenyan Mike Sonko in public another Photoshop fail
Mandela & Mike Sonko (Senador de Nairobi, Quénia)






power to your people...



Todas as relações humanas se baseiam nos poderes que concedemos. Uma espécie de contracto social de Rousseau. Se simpatizas com alguém, concedes-lhe o poder de falar contigo, de interagir, de partilhar momentos. À medida que vais conhecendo e afeiçoando-te às pessoas vais dando mais e mais poderes. O poder de saber da tua vida, o direito de emitir opiniões, de dar conselhos, de partilhar alegrias e amarguras. Isto demora tempo a construir. Pressupõe convivências, partilhas, 
Viver é ir concedendo estes direitos a quem vai cruzando o teu caminho. Não é um contracto escrito, não é até, na maioria dos casos, um contracto consciente. São direitos que vão sendo adquiridos. Há os que os detêm por inerência, há os que os conquistam com o tempo e há aqueles que os arrebatam porque apareceram na nossa vida num momento cosmológico muito preciso. De todos os poderes que podes conceder, há um particularmente sensível: é o poder de te magoarem. E é aqui que tens de ter muito cuidado! Podes restringir esse poder apenas àqueles que mais te amam, o ideal seria se este poder fosse limitado à mãe e ao pai, ninguém te ama mais! Mas isso seria resumir demasiado a tua rede de pessoas. Há momentos em que os  pais não são suficientes. Precisas de mais. Olhas em volta e vês aqueles que sempre ali estiveram. Aqueles que aparecem repetidamente em todas as cenas da tua vida, das mais cómicas às mais dramáticas, das mais rotineiras às mais apaixonadas. Não há como lhes negar o direito a esse poder. É-lhes concedido por usucapião. Depois há os saltos de fé. Aquelas pessoas com quem sentes uma afinidade imediata. Com quem estabeleces uma ligação directa e quando dás por ti já lhes entregaste o código do Amex. É arriscado mas, não mais que viver.
Prepara-te para que, um dia, esse poder se vire contra ti. Prepara-te para a sua não reciprocidade. Prepara-te para que seja usado mesmo por aqueles que conheces como a ti próprio, e de quem nunca esperarias.  Prepara-te, pois vai doer, muito. Mas, se a alternativa é isolares-te do mundo, que te doa, pois assim saberás que, houve o dia , em que te soube...


(nota interna: a mona concorda...)


segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

enter para revolução


Quando olho para trás, para aquela que é a história da humanidade, tendo a ficar rendida às revoluções. Sempre gostei de uma boa revolução (principalmente se for azul). Um ideal, uma conjugação de vontades, a luta, e finalmente a realização, arrancada a sangue suor e lágrimas daqueles que acreditaram. Devemos muito a quem, no passado, deu de si para a conquista de alguns direitos que hoje são para nós banais. Pensar que a minha mãe, até há uns anos, não tinha direito de voto, ou não podia  sair do país sem autorização do marido, é para mim medieval contudo, retrata a nossa história do século XX. Graças à coragem e acção de muitos homens e mulheres, hoje temos liberdade e, com este que é o direito mais básico vieram outros igualmente fundamentais.
Mas, ainda assim o povo está descontente. Sem exércitos, ou multidões, sem armas, ou panfletos, o povo lá vai reclamando com aquilo que acha está errado. O facebook democratizou as revoluções e, agora basta um tempo livre e uma ligação à net para começar um movimento revolucionário. As páginas reivindicativas nascem como cogumelos. Reclamam o dever de não beber mais Pepsi,  exigem a demissão do Sr. Blatter, querem despedir os motoristas do governo, querem o perdão para o cão que matou a criança, a bola de ouro para o Ronaldo, o Jesus demitido... A última página que me convidaram a "likar" era qualquer coisa como "não queremos o Cavaco a representar Portugal no funeral de Mandela". Ora, a criação de uma página deste tipo revela, além de uma óbvia falta do que fazer, uma profunda ignorância da história e um alheamento da política nacional. Mas, e acima de tudo, demonstra uma ignorância e uma falta de respeito para o gigante que foi Mandela. A principal lição que esta, que é a figura maior da história do séc. XX, é a da paz, da coexistência, do perdão.  

Concordo com a insatisfação das pessoas, vivemos tempos complicados e a sociedade não tem sabido acompanhar as mudanças económicas mas, ao invés de perderem o vosso tempo a construir páginas que apenas nos envergonham pela falta de cultura geral do nosso povo, interessem-se. Leiam. Não acreditem em tudo o que os jornais, principais culpados pela desinformação, imprimem. Vasculhem a história do nosso país, e do mundo. Talvez assim consigam compreender a difícil situação que atravessamos. Talvez assim, consigamos atingir uma sociedade mais justa, e igualitária, com políticos mais competentes. Talvez assim fiquem a saber quem foi Mandela e compreendam o legado que ele, com sacrifício pessoal, deixou para a história.




domingo, 8 de dezembro de 2013

Painting & Poetry XXVII


Edward Hopper

&


Há a mulher que me ama e eu não amo.
Há as mulheres que me acamam e eu acamo.
Há a mulher que eu amo e não me ama nem acama.

Ah essa mulher!

Tu eras mais feliz, Apollinaire.
montado num obus, voavas à mulher.
Tu foste mais feliz, meu artilheiro.
tiveste amor e guerra.

Eu andei pra marinheiro,
mas pus óculos e fiquei em terra.

Upa garupa na mulher que me acama,
que a outra é contigo, coração que bem queres
sofrer pelas mulheres...


ALEXANDRE O´NEILL

sábado, 7 de dezembro de 2013

Das palavras dos outros...


                   O Amor da minha vida

O vento soprava, não sei de que lado. Soprava forte quando me fizeram a pergunta. Qual é o amor da sua vida? Gelei com a força do vento. Em tempos diria com facilidade que era o Senhor Jesus. Hoje o peso da idade faz-me pensar duas vezes. Três ou quatro. O peso da idade faz-nos pensar muito antes de dizer as coisas. Eu quero que seja o Senhor. Gostava que fosse Ele. Mas olho em redor e vejo tanta gente que me escolhe no amor. Poderia também desculpar-me com a minha mãe. Ou até o meu pai. Ou até a Igreja. Mas sou um simples humano que, como tal, peregrina buscando o amor. Buscando-o na vida e nos outros. São os amigos, respondo. Então o senhor padre não tem em Deus o seu maior amor? E eu respondo convicto, sem pensar mais que meia vez. Esse é o maior amigo. E o vento leva as minhas palavras, não sei para que lado. Mas leva-as. Leva-as na certeza de que a algum lado irão parar. Talvez cheguem a Deus e Ele me compreenda que, com o avançar da idade, a gente deixa os ideais para procurar a realidade, a certeza do que se vive. E que só O consigo encontrar na vida que vivo e com quem a vivo. Só através disso e da felicidadeque me advém dessas experiências ou vivências. Chega de ideias abstractas, pensamentos teológicos, morais ou litúrgicos. É na vida que vivo e com quem vivo que encontro o Amor da minha vida.




(este texto foi retirado do blog de um padre. Há muito que deixei de procurar auxílio espiritual na Igreja. Há muito que deixei de acreditar em padres e na instituição que estes representam. As minhas crenças, guardo-as para mim, assim como a minha relação com as divindades em que acredito, para isso não necessito de intermediários. Contudo, há algo neste blog que me apazigua, que me toca. Há já algum tempo que o sigo, e me delicio com as histórias e os desabafos de um homem que é padre mas, acima de tudo apenas humano. "É na vida que vivo que encontro o Amor da minha vida", é das frases mais bonitas e verídicas que já li. E resume tanto do que nós somos...)

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013



FIFA autoriza pausas no Mundial com temperaturas acima dos 32 graus




Quer-me parecer que no Qatar os jogos vão ser disputados na playstation, ou no pecebrico...

Ontem foi dia de



E só tenho uma coisa a dizer: 
Porchat você é muito foda!!!

E para quem teve  a feliz ideia de comprar bilhete para Lisboa, estejam preparados porque as gargalhadas vão ser muitas, para quem não comprou fiquem atentos e da próxima vez façam-no.

Madiba... for my long walk is not ended...



I have walked that long road to freedom. I have tried not to falter; I have made missteps along the way. But I have discovered the secret that after climbing a great hill, one only finds that there are many more hills to climb. I have taken a moment here to rest, to steal a view of the glorious vista that surrounds me, to look back on the distance I have come. But I can only rest for a moment, for with freedom come responsibilities, and I dare not linger, for my long walk is not ended.” 


Nelson Mandela


(tinha este post em rascunho desde Julho, altura em que a situação clínica de Mandela se agravou. Ontem, enquanto fazia uma limpeza aos rascunhos, e apagava alguns que não faziam mais sentido, parei neste e pensei: "apago, não apago? já mataram o homem há 5 meses e ele continua por cá, o mais certo é continuar ainda por um bom tempo, afinal o mundo precisa de bons exemplos, são estes que nos dão alento para continuar." Duas horas depois vejo a notícia da sua morte e, foda-se, lá se foi o alento...)





dedica-te mazé ao rendimento mínimo...




Começar a semana com uma multa da segurança social (e há, algures neste país um toc que de prenda de Natal irá receber uma denúncia à ordem...) e acabar com uma carta das finanças a informar que o reembolso do IVA apenas será processado no próximo ano juntamente com um lembrete para não deixar passar o prazo de pagamento do PEC. Ah! as maravilhas de ser empresário neste país...


quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Odiar-te seria mais fácil...


(100+) hipster | Tumblr


Nesta curva tão terna e lancinante
que vai ser que já é o teu desaparecimento
digo-te adeus
e como um adolescente
tropeço de ternura
por ti.

Alexandre O'Neill

cábula de bolso para trintões...




1. Ame seus pais. Prove isso todos os dias. (e avós, e irmãos...)

2. Cada escolha, uma renúncia. Keep walking. (de cabeça bem erguida!)

3. Não reclame de boca cheia. Sempre tem alguém na pior que você.

4. Todos devem tomar ao menos três porres na vida. (two to go!)

5. A vida não é colorida, ela é colorível. (às vezes só temos é tinta preta!)

6. Nunca abaixe a cabeça pra ninguém, nem levante o nariz alto demais. Olho no olho já é suficiente.

7. As pessoas que falam dos outros pra você vão falar de você para os outros. (true story)

8. Não acredite em tudo que falam. Uma palavra proferida é uma arma branca. (escrita também conta)

9. A vida real é melhor que a virtual. Há 10 anos vivíamos bem sem celular. (e sem net, e sem blogs...)

10. O melhor orador é o melhor ouvinte.

11. Todo mundo caga, desde o rei ao plebeu. (e todo o mundo faz merda)

12. Admitir seus erros é o primeiro passo da humildade. (e da hombridade, e da honestidade, e da correcção de carácter...)

13. Comer besteiras te deixa mais feliz. (o chocolate nunca me desiludiu...)

14. Nunca seja omisso! Melhor um “não” do que falta de compromisso com alguém.

15. Tenha seus melhores amigos sempre por perto, mas saiba curtir seus momentos sozinho.

16. Tente nem sempre estar certo – prefira estar feliz.

17. Não se sabe o dia de amanhã. Deixe um recado para sua família e amigos num lugar onde todos lembrarão de você. (amo vocês)

18. Diploma é algo muito bom, mas não garante nenhum sucesso financeiro. (nem intelecto desenvolvido)

19. Faça loucuras, permita-se ser um louco com princípios.

20. Você pode ir a Las Vegas e a um boteco na vila sendo a mesma pessoa. O dinheiro não te faz diferente.

21. Resiliência é a palavra. As maiores lições de vida só são aprendidas da maneira mais difícil. Do chão não passa! (true story!)

22. Ser autêntico é a única e melhor forma de agradar.

23. Dirigir cantando alto é um santo remédio.

24. Evite marcar um voo às 6h da manhã. (yep!)

25. Quem não cola, não sai da escola. (confesso, colei!)

26. É bom questionar tudo. Ter mais perguntas do que respostas significa que você está sendo honesto consigo.

27. As maiores coisas da vida ainda são encontradas de graça. Basta contemplar e olhar.

28. Você é capaz de lidar com situações que achava que não podia.

29. Ria de você mesmo. Quando os outros fizerem, já saberá como ganhar uma situação.

30. A vingança nunca é plena, mata a alma e a envenena.

31. A maioria das coisas que você vê é apenas o que você acha que sabe o que vê. (na verdade somos todos cegos...)

32. Elogie as pessoas! Com certeza, vai fazer a diferença no dia desse alguém.

33. Não existe comida ruim, existe comida sem tempero.

34. Doar é um ato de permissão e aprendizado.

35. Cumprimente qualquer pessoa, independente de sua classe. “O melhor indicador do caráter de alguém é como ela trata as pessoas que não podem lhe trazer benefício algum.”

36. Quando for visitar alguém e ficar em sua casa, deixe um presente. Se pegar carona, ofereça dinheiro para o pedágio. É questão de bom senso.

37. Dinheiro não traz felicidade, mas te proporciona momentos inimagináveis. Às vezes, é preciso dinheiro para vivenciar momentos com amigos e família em ocasiões especiais. Portanto, trabalhe!

38. “Não brinque com os outros, o mundo gira. Hoje você brinca, amanhã é brinquedo.” (Caio Fernando Abreu) (karma, baby, karma)

39. Aprenda que preço e valor são coisas muito diferentes. Nascemos de bolso vazio e caráter zerado. Podemos acumular riquezas financeiras e viver os melhores momentos da vida, mas dela não levamos nada.

40. Você pode se acalmar a qualquer instante quando tem o mar e o céu na sua frente. Tenha um refúgio.

41. Hay que ser duro pero sin jamas perder la ternura. (esto me encanta!)

42. Não confunda vaidade com narcisismo. (o Narciso era um fdp)

43. Uma roupa não justifica o status de alguém. Muitas vezes a embalagem não condiz com o conteúdo. (e por embalagem não entendamos apenas a roupa...) 

44. Einstein era mais esperto que inteligente. E ele era um gênio!

45. Merdas acontecem. Reclamar é verbo, solucionar é uma arte.

46. Cada pessoa tem um conceito sobre tudo. Saiba respeitar essa diferença.

47. Mais valem duas horas de risco que um dia de sonhos. (este risco não é de branca, ok?)

48. Atitudes valem mais que palavras. “Para saber quem somos, basta que se observe o que fizemos da nossa vida. Os fatos revelam tudo, as atitudes confirmam. O que você diz – com todo respeito – é apenas o que você diz”. (Martha Medeiros)

49. O tempo é o mesmo para todos. Saber agradecer ao invés de pedir para os céus é saber respeitar o tempo. 1% representa menos de 15 minutos do seu dia ou 3 dias de seu ano. Todos têm tempo para fazer algo.

50. Se vidente previsse certo, ele estaria rico e não daria conselhos. A sorte só favorece aos audazes.

51. Sem saber que é impossível, qualquer um pode ir lá e fazer. Crie com o mesmo ímpeto de uma criança.

52. O veneno só faz mal se você engole. (engoliu? então vomite.)

53. Não jogue lixo na rua.

54. Colecione sorrisos e abraços.

55. O amor próprio é o maior de todos. (yes it is...)

56. Cão que ladra demais não morde.

57. O lado legal da mudança é que ela pode ser feita a qualquer momento da vida. Não existem regras nem limites.

58. Os grandes vencedores já perderam um dia. “Com o tempo você aprende a cair com classe e levantar com orgulho.” (Tati Bernardi)

59. Obedeça a sua intuição. Se você escutou seu coração antes de fazer o primeiro movimento, você escolheu o caminho certo! E quem aceita e respeita sua intuição, sabe que fez a melhor escolha! (...)

60. O caminho não dura para sempre. É uma bênção percorrê-lo durante algum tempo, mas um dia ele irá terminar, portanto esteja sempre pronto para despedir-se a qualquer momento. Honre seu caminho. Foi sua escolha, sua decisão, e na medida em que você respeita o chão onde pisa, também este chão passa a respeitar seus pés. Faça sempre o que for melhor para conservar e manter seu caminho, e ele fará o mesmo por você.


Roubado daqui.

domingo, 1 de dezembro de 2013

miséricorde...

Erwin Blumenfeld



When the time came to part, 
And he kissed me goodbye, 
From the depths of my heart, 
Came a great lonely cry: 
Heaven have mercy! 


Edith Piaf