sexta-feira, 8 de junho de 2012

O Dantas também podia chamar-se anónimo...


Basta pum basta!

Uma geração, que consente deixar-se representar por um Dantas (Anónimo) é uma geração que nunca o foi! É um coio d'indigentes, d'indignos e de cegos! É uma rêsma de charlatães e de vendidos, e só pode parir abaixo de zero!

Abaixo a geração!

Morra o Dantas, morra! pim!

Uma geração com um Dantas a cavalo é um burro impotente!

Uma geração com um Dantas à proa é uma canôa uni seco!

O Dantas é um cigano!

O Dantas é meio cigano!

O Dantas saberá grammática, saberá syntaxe, saberá medicina, saberá fazer ceias p'ra cardeais saberá tudo menos escrever que é a única coisa que elle faz!

O Dantas pesca tanto de poesia que até faz sonetos com ligas de duquezas!

O Dantas é um habilidoso!

O Dantas veste-se mal!

O Dantas usa ceroulas de malha!

O Dantas especúla e inócula os concubinos!

O Dantas é Dantas!

O Dantas é Júlio!

Morra o Dantas, morra! pim!

O Dantas fez uma sorôr Marianna que tanto o podia ser como a sorôr Ignez ou a Ignez de Castro, ou a Leonor Telles, ou o Mestre d'Aviz, ou a Dona Constança, ou a nau Cathrineta, ou a maria rapaz!

E o Dantas teve cláque! E o Dantas teve palmas! E o Dantas agradeceu!

O Dantas é um ciganão!

Não é preciso ir p'ró rocio p'ra se ser um pantomineiro, basta ser-se pantomineiro!

Não é preciso disfarçar-se p'ra se ser salteador, basta escrever como Dantas! Basta não ter escrúpulos nem moraes, nem artísticos, nem humanos! Basta andar co'as modas, co'as políticas e co'as opiniões! Basta usar o tal sorrisinho, basta ser muito delicado e usar côco e olhos meigos! Basta ser judas! Basta ser Dantas!

Morra o Dantas, morra! pim!

O Dantas nasceu para provar que, nem todos os que escrevem sabem escrever!

O Dantas é um automato que deita pr'a fóra o que a gente já sabe que vae sahir... Mas é preciso deitar dinheiro!

O Dantas é um soneto d'elle-próprio!

O Dantas em génio nunca chega a pólvora secca e em talento é pim-pam-pum!

O Dantas nú é horroroso!

O Dantas cheira mal da boca!

Morra o Dantas, morra! pim!

O Dantas é o escarneo da consciência!

Se o Dantas é portuguez eu quero ser hespanhol!

O Dantas é a vergonha da intellectualidade portugueza! O Dantas é a meta da decadência mental!

E ainda há quem não córe quando diz admirar o Dantas!

E ainda há quem lhe estenda a mão!

E quem lhe lave a roupa!

E quem tenha dó do Dantas!

E ainda há quem duvide de que o Dantas não vale nada, e que não sabe nada, e que nem é intelligente nem decente, nem zero!

 ...

Manifesto Anti-Dantas, José de Almada-Negreiros

3 comentários:

Vic disse...

Não reparaste que devia ser sempre o mesmo? Estes tótós, na maior parte panascas, que se dizem fãs da burra da Isabel Figueira e outras que tal (uma vez o Francisco Mendes que faz o programa de tv com ela disse que nunca tinha conhecido ninguém tão ignorante) são do género do Castelo Branco ou pior. Acho é que o Manifesto esá tão bem escrito, que é mal empregado nestes larilas ( ou será que era a própria burra a responder como anónimo? )

Gija disse...

Miss S esta perfeito, mas concordo com o amigo Vic esta mal empregue!!!

Miss S disse...

Vic, se não é sempre o (a) mesmo(a) tiveram todos a mesma professora de português... Se está mal empregue? provavelmente. Certamente que o anómimo não atingirá a mensagem, mas a verdade é que é o Dantas!