quinta-feira, 14 de junho de 2012

Ser Português...

Hoje nas minhas deambulações pela net encontrei esta foto, que foi tirada no momento em que Pepe festejava o golo que marcou ontem frente á Dinamarca.


E ao ver esta foto, lembrei-me, que há uns anos atrás quando se começou a falar neste assunto, eu era completamente contra os naturalizados jogarem pela nossa Selecção, chegava mesmo a ser radical nesta minha opinião, achava que somente quem era verdadeiramente português, nascido e criado cá é que devia ter essa honra.  Hoje em dia, com a sabedoria que a idade me deu, já não penso assim, claro que há casos que ainda não concordo, pois naturalizaram-se e querem jogar numa determinada selecção apenas para se auto-promoverem, para arranjarem um melhor contrato, assim de repente, nem sei bem porquê veio-me á cabeça  o Liedson, são os chamados vendidos, mas outros há, que de facto o fazem porque se sentem como portugueses, porque sentem o nosso país como sendo também deles, e acho que o Pepe é um desses. Claro, que o Pepe é Brasileiro, mas é um brasileiro que escolheu ser português, que casou com uma portuguesa que tem Portugal no seu coração e quando canta o nosso hino sente-o como seu, quando joga pela nossa selecção, joga com força e raça para honrar a sua selecção, e quando marca um golo a alegria e orgulho com que segura o nosso escudo mostra bem esse sentimento de posse em relação a Portugal! Eu diria até que demonstra mais honra e orgulho que muitos nascidos e criados cá...
Esse é um dos motivos que me levou a mudar a minha opinião, porque realmente ser Português, não significa somente ter nascido cá, é preciso sentir, amar, compreender, respeitar o nosso país e isso qualquer um pode ser, tenha nascido no Brasil, na Malásia ou até no Bangladesh!

10 comentários:

L.Stein disse...

Oi querida, vim agradecer sua visita no meu blog e deixar minha opiniao. Moro aqui em NYC há exatos 18 anos. Não me sinto brasileiro mais, aprendi a amar este país e o tenho como meu. E há muitos aqui q não dão valor, nao honram o solo que pisam. Adotamos o país como nosso e tbem eu, tenho amor por este que vivo. E falo a verdade.. mesmo agora voltando PROVISORIAMANTE ao Brasil, o proximo lugar que ja penso fixar residencia é exatamente aí, em Portugal. Pq eu sempre disse ( pergunte ao Eduardo ) que o segundo país q eu moraria, depois daqui dos estados unidos, seria Portugal..
Um bj, tudo de bom
;)
lukhas.

o mesmo de sempre. disse...

totally agreed.

Gija disse...

Olá Lukhas!
Obrigada pela sua visita, eu já o costumo visitar e adoro os seus textos!
Pois se decidir vir para cá será muito bem recebido certamente, será um prazer para nós portugueses receber mais um português de coração e até digo mais, nunca mais nos vai deixar, pois nós temos tendência a cativar os que por cá passam...
Um beijo e volte sempre aqui ao meu cantinho! :)

Jingas disse...

Além do mais, ele veio ainda júnior para Portugal, mais concretamente para o (arghhhh Marítimo)

Miss S disse...

A questão aqui é que o Pepe bebeu da àgua da Maria da Fonte, é isso que faz dele português de outra estirpe...

Gija disse...

Além da água da Maria da Fonte, há o pormenor de ter passado pelo Porto, onde aprendeu o que é jogar com raça, a honrar a camisola que enverga...

Salvador disse...

Nem mais, Gi(n)ja...))

(E custa-me, custa-me ver uma Mulher a dissertar tão assertivamente sobre um assunto de Homens, ainda por cima a fazê-lo melhor do que nós)

Gija disse...

Caro Salvador, qual assunto de homens, Futebol?
Olha que há por aí muitas mulheres que gostam e até, pasmem-se, percebem de futebol!!!

Salvador disse...

A Gija não sabe, mas eu faço da picardia de género 'modo de vida blogosférica'. E claro, custa-me quando não as consigo irritar... rsrs.

Agora a sério, reconheço que há muita Mulher que gosta e percebe de Futebol. É o caso da Marta Santos, cronista do Record, que escreve como ninguém sobre o assunto...))

Vic disse...

Se estás a ser justa com o Pepe, já o mesmo não se pode dizer do Liedson. Ainda se falasses no Deco...O Liedson só se naturalizou depois de muita insistência da Federação e do Selecionador. E na altura em que o fez, não precisava de promoção nenhuma, já era dos melhores avançados estrangeiros de sempre a actuar em Portugal.