quinta-feira, 13 de setembro de 2012

a proxima vez que vir uma borboleta juro que a esmago...





Esta semana provei e comprovei a teoria do caos, aquela que nos diz que o bater de asas de uma borboleta pode originar um furacão no outro lado do mundo. E, acreditem não é eufemismo. Tem sido uma semana terrível, cheia de complicações, problemas e chatices e, tudo começou com uma operação stop em Moçambique, onde não estive. Esta semana, a minha pacata vidinha foi condicionada pela acção de um qualquer e comum polícia que na segunda feira de manhã acordou, provavelmente deu a queca matinal à sua dama, tomou o pequeno almoço, largou os gaiatos na escola e ao chegar ao trabalho foi destacado para uma operação stop nos arredores de Maputo. Uma pessoa que não tem qualquer relação comigo, que eu nunca vi na vida, que vive num continente diferente do meu foi a responsável pela minha falta de paciência, o meu humor curto, o meu cansaço durante praticamente toda a semana. Não sei se esta acção terá algum efeito a longo prazo, além do amuo dos que levaram com o meu mau humor mas, as consequências imediatas, não sendo irreparáveis, deixaram a sua marca. 
É estranho e assustador pensar no eco que, mesmo as mais comuns, das nossas acções podem ter. Pensar que a nossa vida não está apenas entrelaçada naqueles com quem nos relacionamos mas, com todo o mundo literalmente. Pensar que indirectamente podemos ser responsáveis por alguém ter ganho a lotaria, ter encontrado o amor da sua vida, ter curado uma doença, ter tido um acidente ou ter morrido. É uma espiral ensandecedora quando paramos para pensar nisto. Os romanos atribuíam esta responsabilidade às parcas que fiavam o fio da vida, eu prefiro chamar-lhe destino, no qual acredito em absoluto.

3 comentários:

Salvador disse...

Vá, Mamíssima, conte o que lhe aconteceu. Desabafe, descarregue o mau humor nos estranhos que a lêem e poupe os Amigos...))

Gija disse...

Pois olha a mim é um estupor de um Indiano lá no outro lado do mundo que me anda a pôr os nervos em franja... Que não me apareça nenhum quefrô á minha frente senão ainda leva por tabela!!!

Miss S disse...


Caro Salvador, jamais o atormentaria com o meu mau feitio, temo que não aguentasse...