sábado, 15 de setembro de 2012

A troika lixa-se e nós?

Hoje é dia de indignação nacional. Por todo o país estão previstas manifestações. Por isso eu optei por pirar-me para a Galiza. Hoje vou bater com a cabeça no Santiago, almoçar no Grove e passear em La Toxa. Não porque não concorde ou não perceba a indignação de todos. Também fui afectada pelas medidas de austeridade e também eu estou fodida contudo, prefiro lutar com outras armas. Vivemos em democracia e as pessoas têm de se consciencializar que isto significa que é dever de todos participar na vida política do país. Faltei à manifestação, porque estou certa que vai haver  quem a partidarize e instrumentalize e eu recuso-me a dar a cara para que outros falem por mim. Acredito que a melhor forma de lutarmos é aproximar-nos do poder. É assistir às reuniões públicas de junta e assembleias de freguesia e dizer na cara do executivo que não estamos dispostos a pagar outra rotunda ou outro chafariz, é ir às reuniões de câmara e assembleias municipais e fazer ver aos autarcas que não estamos dispostos a pagar mais piscinas e elefantes brancos. É exigir daqueles que elegemos, quer para o parlamento, quer para a Europa que defendam os nossos interesses, que se justifiquem perante nós, pois esse é o seu dever. É comparecer às urnas e votar em vez de chutar essa responsabilidade para os outros, só para depois poder criticar. Nos últimos dias a insanidade instalou-se no nosso país, ouvi a oposição e os opinion makers a falar em moções de censura e demissão do governo, não ouvi uma única proposta válida para arrecadar a verba necessária para controlar o défice. O que aconteceria ao nosso país se houvesse agora eleições?! A equipa que está a jogar, pode não ser a melhor, pode não ter os craques que esta final merece mas, a verdade é que no banco só temos coxos, míopes e lobotomizados.
O tema escolhido pelos organizadores deste movimento, que nasceu nas redes sociais, talvez inspirado pela primavera árabe, é: "que se lixe a troika!", de facto que se lixe. Agora, de cada vez que os funcionários públicos e reformados gritarem estas palavras de ordem, é bom que se lembrem que, desde há um ano a esta parte é o dinheiro da troika que lhes está a pagar o salário... 

3 comentários:

Gija disse...

Pois ate gostava mesmo de ver, essa história do que se lixe a TRoika ir avante...

Pequenos Pormenores disse...

É impressão minha mas tens alguma coisa contra os trabalhadores do sector público??? Concordo que neste sector há muito boa gente que não vale o dinheiro que ganha mas também os há que apesar dos roubos que têm sido sujeitos continuam a acreditar que temos de lutar, trabalhando o melhor que podem e sabem...de certeza que esses não participaram na manifestação de ontem!

Miss S disse...

Não tenho nada contra a função pública, tenho que haja portugueses de 1ª e portugueses de 2ª, que fazendo os mesmos descontos, os funcionários públicos tenham um acesso priveligiado à saúde, e à assistência na velhice, entre tantos outros privilégios que no fim de contas saiem do bolso de todos nós e que, na hora dos sacrificios, o tribunal constitucional venha falar em equidade, coisa que nunca existiu. E que depois de lixarem e entregarem mais uma vez a factura do seu custo excessivo aos privados ainda têm a lata de ir para uma manifestação gritar que se lixe a troika, quando é esta que lhes anda a pagar o salário. Como vês não tenho nadinha contra os funcionários públicos, a não ser a injustiça que eles preconizam.