terça-feira, 3 de julho de 2012

Falta-me uma identidade...

Nunca pertenci a uma tribo. Nunca fui catalogada pelo que gostava ou pela forma como me vestia. Nunca fui metaleira, rockabilly, pop-star ou marrona. Era, ainda sou, rebelde mas, nunca fui etiquetada. Simplesmente nunca preenchi todos os requisitos necessários para pertencer a uma só tribo. Na escola dava-me com os metaleiros (aprecio moderadamente o género musical e o preto é a minha cor), simpatizava com os desportistas, saía com os rockeiros, era amiga dos betos e nunca desprezava os marrões. Na universidade, os meus amigos, de todos os dias, eram os intelectuais de esquerda. E era estranho qb. Eles eram radicais ao ponto de não comerem no MacDonal's e de se recusarem a beber Coca-Cola, eu desfilava com uma camisola Tommy com a bandeira dos EUA. Sempre nutri amizades com gentes de todos os quadrantes. Gente diferente de mim, gente parecida comigo. Sempre olhei para lá dos gostos, crenças e aparências das pessoas. Dito assim até que não está mau mas, quando folheio os meus álbuns de fotos dos tempos que passaram sinto que faltam fotos de um eu mais dramático, com cabelo cor-de-rosa, ou com brilhantina, ou caveiras e correntes,  ou maquiagem pindérica, ou cores psicadélicas. Quando me perguntam o que é que eu era, respondo: o que sou, sem os upgrades. Não tenho nem nunca tive outra identidade e, hoje à distância dos anos lamento a falta dessas fotos no álbum da minha vida.

5 comentários:

Anónimo disse...

saía, sem hífen. e podes apagar este comentário ;)

Miss S disse...

merci anónimo! Foi um lapso imperdoável ;)

Eduardo Hürst disse...

Olhe novamente tuas fotos, com atenção e carinho pra ti. Olha direito.. está lá, entre os metaleiros, caveiras, comportados e rebeldes, voce. Sem perceber vc possuia todas as tribos dentro de ti. Não precisou expor às pessoas nem erguer bandeira, pq não foi isso q a fez ser o que é.
E sendo um pouco de cada, acabou sendo UNICA.
Que bom que foi assim... Porque tribo passa com a idade, e vc continuou...
Um beijo com muito carinho pra ti...
#
Eduardo.

Miss S disse...

Obrigada Edu! Adorei o teu comentário. Acho até que o vou imprimir e colar nos meus álbuns para que me lembre destas sábias palavras. Um beijo enorme e um abraço do tamanho do mundo, carregadinho de boas energias. Estamos todas na torcida para que venças a tua batalha e venhas para este lado do Atlântico depressa ;)

Eduardo Hürst disse...

Ah e ja ate combinei com a Gija que vou sim, conhecer vcs!! abs, bjs